sábado, 3 de outubro de 2009

Programa da CDU para Guimarães

A
CDU, o Sal da Câmara
A
Guimarães um concelho coeso, uma terra com futuro

Guimarães, concelho de povoamento disperso polarizado em torno de alguns núcleos urbanos de dimensão assinalável, tem a maioria da sua população residente fora do velho burgo. Considerar esta dinâmica é questão central para o ordenamento do território, para o urbanismo, para a coesão municipal. Enfim, para um futuro coerente com um passado orgulhoso.

Para a CDU o concelho vale pelas pessoas que nele moram ou trabalham.

Transformar o presente a pensar no futuro acarreta necessariamente a avaliação das forças sociais e económicas dispostas à mudança. Dar prioridade às questões sociais é a marca que distingue a CDU. Traçar o futuro, objectivo desta candidatura à autarquia de Guimarães, implica analisar a estrutura económica existente, o emprego e o desemprego, o nível das remunerações e pensões de reforma, educação e formação.

Recusando a ideia de um concelho onde umas freguesias têm muito e outras pouco, queremos viver num espaço dotado de vias que facilitem e incentivem a mobilidade e o acesso a bens, equipamentos, serviços e eventos.

As obras e os investimentos, da responsabilidade da câmara ou a negociar com terceiros, serão ordenados tendo em conta três critérios complementares e indissociáveis: Desenvolvimento Social; Equidade entre Freguesias; Racionalidade Económica.

Os projectos com impacto na imagem da cidade e das freguesias, em especial as propostas de loteamentos e de urbanização, devem ser objecto de discussão pública, apreciados e decididos em reunião plenária e pública da câmara, não só porque o concelho é de todos, mas também em nome da transparência da gestão.

De igual modo em relação ao orçamento e ao plano plurianual de investimentos, instrumentos de gestão sobre os quais deve haver a participação da população. Com a CDU os Vimaranenses serão chamados a emitir opinião sobre os principais assuntos da vida do Município.

Excessiva e perigosamente dependente de um sector de actividade – em sentido lato, o têxtil – a estrutura produtiva do Município está embotada, inapta a enfrentar desafios crescentes do exterior. Tranquilamente, mas com firmeza e determinação, Guimarães tem de mudar de modelo social e económico.

Guimarães tem perdido capacidade de fixação e atracção de gente jovem, facto apenas contrariado pela presença dos estudos universitários. O envelhecimento da população, com diminuição de jovens tende a acentuar-se e a deter maior peso relativo.
As políticas sectoriais propostas pela CDU são a nossa resposta ao desafio de suster as tendências mais negativas e o relançar de um novo modelo social e económico para o Município, um paradigma que devolva a Guimarães a vitalidade que caracteriza as suas gentes.
S
Conheça e avalie AQUI o programa da CDU

1 Comments:

At 6 de outubro de 2009 às 16:42, Blogger Má-Onda said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 

Enviar um comentário

<< Home